Só quem é mãe sabe como é aquele aperto no coração na hora de ter que deixar o filho em casa pra ir trabalhar.

Se essa situação já é complicada quando se tem uma rotina definida, para as mães da área da saúde, com plantões incontáveis, consultas de emergência e cirurgias de última hora, o esforço de conciliar a carreira com a maternidade acaba sendo dobrado.

Perder datas importantes, ter que faltar a reuniões do colégio e ter que deixar os filhos doentes aos cuidados de outros é comum para mães que tentam conciliar a carreira com a maternidade.

As mães que trabalham fora acabam tendo que conciliar uma dupla jornada, equilibrando a vida profissional e a maternidade. Nesse cenário, a mãe pode achar que não vai dar conta, ou que vai prejudicar o desenvolvimento dos filhos.

A mulher muitas vezes se sente culpada, dividida, e ainda com as perspectivas atuais da política do nosso país, marcada com a instabilidade dos direitos trabalhistas e uma grande desigualdade profissional entre homens e mulheres, será que no final das contas é possível harmonizar a carreira com a maternidade?

 

 

Como conciliar a maternidade e a carreira na área da saúde

Por que a maternidade pode ser um desafio na carreira?

Se tornar mãe ainda é uma complicação para as diferentes profissões existentes tanto no mercado privado quanto no mercado público, e uma preocupação da maioria das mulheres que iniciam sua vida profissional.

Na raiz da questão está a divisão sexual do trabalho, expressão que representa a ideia de que existem funções “de mulher” e “de homem” na nossa sociedade.

Ser mãe, cuidar dos filhos e da casa são exemplos de atribuições socialmente femininas, enquanto fazer manutenções no lar, ganhar dinheiro e liderar a família seriam tradicionalmente tarefas masculinas. Conceitos que, a cada, dia têm sido desconstruídos (ainda bem!).

A partir do momento em que se tornam mães, as mulheres passam a ter horários de chegada e saída no trabalho mais rígidos, pois normalmente se adequam à rotina das crianças. Além disso, a possibilidade para viagens se reduz e a disponibilidade para levar trabalho para casa também.

Todas essas mudanças podem ser interpretadas pela chefia e pela equipe como motivos para queda no rendimento profissional, justificando uma estagnação na carreira e dificultando uma promoção.

E como se não bastasse, a lei brasileira contribui para que a obrigação de cuidar da criança não seja compartilhada, já que a licença paternidade é somente de vinte dias.

 

 

Como conciliar a maternidade e a carreira na área da saúde

Algumas dicas para conciliar a carreira e a maternidade

Mesmo com todas as adversidades que as mães podem encontrar no mercado de trabalho, muitas delas que decidem conciliar a carreira com a maternidade acabam vencendo os obstáculos conseguindo manter sua produtividade mesmo com a responsabilidade de educar e cuidar de seus filhos em tempo integral. Essas mulheres, que são exemplo de conduta de trabalho, sabem equilibrar perfeitamente a vida pessoal e profissional.

Nós da SVianet conhecemos bem o cotidiano de várias clínicas e consultório em todo o Brasil, e também sabemos que os desafios de gestão podem se tornar grandes oportunidades de sucesso.

Em homenagem às mães – e a todas as mulheres – que se esforçam diariamente para otimizar seu serviço, seja cuidando de seus filhos ou atendendo aos seus pacientes, nós preparamos algumas dicas importantes para quem deseja conciliar a maternidade e a carreira na área da saúde:

 

 

Como conciliar a maternidade e a carreira na área da saúde

Projete o seu futuro – e o futuro de seu filho.

Educação é um trabalho de uma vida inteira. Você dificilmente vai “tirar férias” do cargo de mãe, e esse trabalho levará anos para ser concluído.

Conseguir projetar o seu futuro e o futuro de suas crianças é a dica mais importante para as mães de primeira viagem. Trabalhar focada em dar aos seus filhos um futuro melhor e mais estável é uma ótima forma de se motivar quando você tem que deixar o pequeno em casa para cumprir seu expediente.

A medida que o tempo passa, as crianças vão precisando de atenção em aspectos diferentes de suas vidas. Planejar sua renda para o investimento na educação, ou programar uma viagem de final de ano para um lugar especial são boas maneiras de estar presente na criação de seus filhos a longo prazo.

Se no começo dessa experiência o aperto no coração for grande, lembre-se que conciliar a carreira e a maternidade é mais difícil para as mães do que para os filhos. Muitas vezes nós subestimamos a capacidade de adaptação dos pequenos.

 

Lute por seus direitos.

A visibilidade da luta dos direitos das mulheres no mercado de trabalho tem aumentado significativamente nos últimos anos, mas para caminharmos rumo a igualdade plena entre mães e pais, principalmente em relação às trajetórias e decisões em suas carreiras, serão necessárias grandes mudanças que só serão possíveis se todas as mulheres lutarem juntas por seus direitos.

A legislação trabalhista brasileira vem passando por mudanças drásticas com a nova reforma que entrou em vigor em novembro de 2017, que além de realizar alterações que dizem explicitamente respeito a mulheres gestantes ou com filhos pequenos, tende a prejudicar de forma mais intensa aqueles em pior posição no mercado de trabalho e com menos condições de negociar com os patrões.

Um dos pontos da reforma que ainda precisa ser implementado via medida provisória atinge precisamente as mães: O governo pretende permitir que gestantes e lactantes trabalhem em locais de insalubridade, como hospitais, se houver autorização de um médico, mesmo havendo uma lei de 2016 veta o trabalho de gestantes e lactantes nesse tipo de situação.

As mães e mulheres que pretendem abraçar a maternidade devem exigir mais políticas públicas para a família, uma maior desconstrução cultural das expectativas sociais relacionadas aos gêneros e uma nova divisão das tarefas domésticas entre as pessoas que habitam a casa, não mais somente entre as figuras femininas.

 

Fique atenta ao seu ambiente de trabalho.

O ambiente de trabalho pode ser um grande influenciador no equilíbrio entre vida pessoal e vida profissional.

As mulheres geralmente são as principais cuidadoras de crianças e idosos na maioria dos países, e um estabelecimento que não oferece as devidas condições de flexibilidade e compreensão às profissionais que precisam estar conectadas com a sua casa o tempo todo podem não ser o melhor lugar para construir uma carreira.

Um bom ambiente de trabalho deve garantir opções de cuidado infantil favoráveis,  ininterruptas e adequadas. É papel da gestão da clínica desenvolver diretrizes sobre a implementação de políticas de equilíbrio da vida profissional, e atitudes como oferecer  mentoria para mulheres que passam por uma transição tão importante como a maternidade são alavancas importantes para garantir uma progressão sustentada na carreira em direção à administração.

As empresas também devem se preocupar com a maternidade além das mulheres e oferecem licença parental, horário de trabalho flexível e outro equilíbrio entre vida profissional e pessoal para que os homens possam dividir com suas parceiras a responsabilidade dos cuidados de uma criança.

Saiba mais sobre os desafios e soluções de gestão para clínicas.

 

 

Como conciliar a maternidade e a carreira na área da saúde

Conte com a tecnologia.

A medida que a tecnologia avança, se integrando em diversas indústrias e áreas de atuação, ela afeta os trabalhadores e a dinâmica de lacuna entre os gêneros de várias maneiras.

Felizmente, muitos dos impulsionadores atuais esperados da tecnologia têm o potencial de permitir o estreitamento das lacunas de gênero na indústria.

Em nossas casas, o trabalho doméstico pode ser ainda mais automatizado, aliviando algumas das atuais dificuldades que as mulheres enfrentam e permitindo que utilizem suas habilidades na economia formal, trabalhando fora de casa e contando com recursos mais sofisticados de gestão doméstica.

No ambiente profissional não é diferente, uma vez que os consultórios estão adotando cada vez mais formas de automatização de atendimento e gestão.

Com o implemento de software de gestão em clínicas as funções de atendimento ficam mais objetivas, permitindo que o tempo de trabalho seja melhor aproveitado pelas mães.

Esse avanço tecnológico acaba evitando que elas tenham problemas de produtividade por conta de horários limitados ou por se verem muito atarefadas com obrigações da maternidade.

Entenda por que é tão importante ter um software para sua clínica.

 

Tenha mais flexibilidade.

Programar e organizar cada passo, na medida do possível, é um caminho adotado pelas mulheres que querem continuar a trabalhar e não abrem mão de serem mães.

Em muitos casos de profissionais que vivem a maternidade, as suas agendas são suas maiores aliadas. Quando se tem um cargo integral de mãe, onde emergências e mudanças na rotina podem ser tão comum quanto na carreira médica, conseguir ter flexibilidade para administrar sua agenda é fundamental.

As mães precisam ter o dobro de atenção aos seus compromissos e obrigações, e na hora de se organizar, um software que tenha recursos práticos de agenda pode ser um diferencial.

Com o SVianet, as mães podem contar com uma agenda online para organizar seus atendimentos, e os recursos de comunicação com seus pacientes podem evitar faltas indesejadas.

O software da SVianet também possibilita o auto-agendamento online,  recurso indispensável para quem precisa de mais praticidade na hora de organizar o seu dia-a-dia.

Confira 6 dicas infalíveis para gerenciar a agenda de pacientes


 

E você? Já passou por alguma situação durante a maternidade que colocou sua carreira a prova? Tem alguma dica para dar às mães de primeira viagem ou tem alguma dúvida sobre como equilibrar a vida pessoal e profissional? Deixe seu comentário aqui em baixo.

Entre em contato conosco para saber como nossas soluções podem otimizar a gestão de seu consultório e te ajudar a conciliar a maternidade com a carreira na saúde. Faça um teste grátis.