Apps de saúde: Não é atoa que eles são chamados de “pacientes”. Quando alguém entra no sistema de saúde hoje ele já sabe exatamente o que vai encontrar: Inúmeros exames, preços cada vez mais altos e uma espera sem fim. Nenhum método médico deixa de ter importância por conta da insatisfação dos pacientes, pois os procedimentos da saúde são complexos e todo o cuidado é pouco, mas a frustração está deixando os pacientes saturados.

A internet já permite que os pacientes encontrem e agendem consultas onde e quando for melhor para eles, no entanto, mudanças radicais exigem inovação – de provedores para pacientes e de médicos para dados. Essa mudança está acontecendo. Tecnologias como o smartphone permitem que as pessoas monitorem sua própria saúde.

As possibilidades se multiplicam quando você adiciona os ingredientes essenciais em falta – o acesso aos seus próprios registros médicos e a capacidade de compartilhar facilmente informações com aqueles de sua confiança. Isso permite reduzir as ineficiências em seu próprio tratamento e também fornecer dados para ajudar a treinar algoritmos médicos. Assim o paciente pode melhorar seus próprios cuidados e os de todos os outros também.

Os dados médicos podem não parecer o tipo de faísca para desencadear uma revolução. Mas o fluxo de informações provavelmente dará frutos de várias maneiras. Uma delas é um diagnóstico mais completo.

Veja o infográfico a seguir mostrando as inovações tecnológicas dos apps de saúde que permitem os próprios pacientes monitorarem seu tratamento.

Apps de saúde: Aplicativos que ajudam a monitorar o tratamento dos seus pacientes.
Apps de saúde: Aplicativos que ajudam a monitorar o tratamento dos seus pacientes.

Nova call to action